Como fazer um bom Préludio

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

Como fazer um bom Préludio

Mensagem por Clisthert em Seg Jan 11, 2016 11:27 am

Não são raras as vezes quando nos deparamos com a necessidade de criamos um novo personagem, ou pq o antigo morreu, ou pq uma nova campanha irá começar, ou por pura e simples diversão. Então pegamos lápis, papel, borracha, Xerocamos as fichas e vamos a construção do personagem. A opção entre fazer o Prelúdio antes ou depois de se fazer a ficha é de cada um e em pouco alterará a história de Seu personagem. Eu prefiro fazer o prelúdio antes e pontuar a ficha conforme a história, mas pode fazer-se o contrário, pontuar a ficha e montar o prelúdio de maneira a seguir aquilo que está na ficha.

Mas a grande realidade é que 9 em cada 10 jogadores de RPG sentem uma enorme dificuldade em montar um bom prelúdio, eu sinto mais dificuldade em montar uma boa ficha, pois esta depende de muita estratégia, enquanto prelúdio depende de muita imaginação. Como o meu forte em se tratando de RPG são os prelúdios estou criando este tópico para lhes dar exemplos e demonstrar maneiras de construções de bons prelúdios.

Antes de tudo, o que um bom prelúdio deve conter? Tudo. Como assim? Está na ficha, está no prelúdio, qualidades, defeitos, pontos, como o seu personagem atingiu um nível tão alto em determinada habilidade ou atributo e etc.

Mas um bom prelúdio não é só explicar a ficha, é muito mais, é ajudar o Narrador a montar uma boa cronica. Como assim? Veja bem, todo mundo tem família, primos, tios, avós, namorados, pessoas que amam, pessoas que odeiam (menos no caso dos vampiros mais antigos que acabam perdendo estes familiares no decorrer da não vida). É estranho em se notar que em 90% dos prelúdios em que se encontra por aí (bons prelúdio é verdade) toda a família do personagem fora morta de maneira as vezes desconhecida. Devemos esquecer a ficha. O que uma pessoa normal faz? O que ela gosta de fazer? Com que tipo de pessoas se relaciona? Quem ela ama, quem ela odeia? Possui inimigos que podem alterar o curso de sua história? O que houve com a família desta pessoa? Como conseguiu aquele recursos 5 se só tem 18 anos?

Ter um bom prelúdio é fundamental para uma boa interpretação. Interpretar personagens sem um bom prelúdio, é o mesmo que ser um daqueles personagens dos livros do Romantismo, personagens lineares, ou seja, uma vez bom sempre bom, sem pensamentos maus, sem ira, sem nada, sem yng yang, um personagem sem palpabilidade alguma, um personagem reto com apenas 2 dimensões, sem profundidade.

Um bom prelúdio é fundamental para que haja o verdadeiro Horror Pessoal que o sistema propõe, é fundamental para que haja jogos e mais jogos de sentimentos dentro de uma pessoa! Por que eu tenho que amar aquele que me transformou em vampiro? Eu gosto desta situação? Eu gostaria de ver o sol mais uma vez! Todas as pessoas possuem sentimentos, segredos e etc. E são estes sentimentos e segredos que devem ser expostos em um bom prelúdio.
avatar
Clisthert

Mensagens : 19
Data de inscrição : 09/01/2016
Localização : Bristol, UK

Ver perfil do usuário http://www.pageofmirrors.rpgpiracaia.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

A estrututuração de um bom prelúdio

Mensagem por Clisthert em Seg Jan 11, 2016 11:29 am



Eu particularmente, gosto de prelúdios escritos em Primeira Pessoa, como se o personagem estivesse contando a sua vida para um jornalista. Ou algo do tipo. E por que eu gosto disso? Pois os fatos serão expressos com uma visão mais particular, mais intrinseca etc.

Aqui teremos que abrir um parenteses e voltarmos as aulas de literatura no colegial:

Por que Dom Casmurro foi escrito em primeira pessoa? Pois ele expressa a opinião do Bentinho, ninguém nunca vai saber se Capitu realmente o traiu, o que provavelmente não aconteceu, mas se observarmos a visão de Bentinho, isto aconteceu.

Ou seja, uma narração em primeira pessoa demonstra parcialidade, e para um bom prelúdio isso é notável! Pois já a partir do prelúdio vai criando-se uma maneira de interpretar para seu personagem, maneira esta que será seguida por toda a cronica!

Um bom prelúdio deve conter detalhes, não detalhes do tipo com que cueca ele saiu etc, mas como fala seu personagem? Qual o sotaque dele? Como se relacionava com as pessoas a seu redor? Com que arma ele matou determinada pessoa, etc.

Deve conter ações, crie uma "pequena" campanha dentro de seu prelúdio, crie personagens que poderão interferir na vida de seu personagem etc.

Não existe um número de páginas para um bom prelúdio, mas ele deve ser detalhado. é incabível um prelúdio de um vampiro ancião de 1000 anos com menos de 4 ou 5 páginas em Word, e isso ainda é pouco!

1000 anos é muito conhecimento adquirido, é a passagem por três épocas históricas! Idade Média, Idade Moderna e Idade Contemporânea! é portanto a visão tripla de um mundo! Antes plano e que depois nos possibilita até chegar na lua!

Então pense nisso! Pra quem deseja criar vampiros, o processo de criação de personagens é muito mais complicado pela quantidade de tempo em que vive. Um personagem vampírico neófito vai ter em média 30 anos de vida mortal e 10 de vida vampírica, o que indica 40 anos de aprendizagem, de fatos ocorridos etc. Em 40 anos por quantas coisas uma pessoa não passa, não é verdade?

Parágrafos curtos e sem ambiguidade são fundamentais em qualquer texto, e não é diferente em um bom prelúdio, para que o narrador possa entender a mensagem que a história do PC quer passar.

Uma dica para quem joga em mesa: Faça o prelúdio a mão, nunca em computador, fica muito mais interessante (principalmente se for vampiro) pois parece ser um diário, se possível escreva em folhas envelhecidas.
avatar
Clisthert

Mensagens : 19
Data de inscrição : 09/01/2016
Localização : Bristol, UK

Ver perfil do usuário http://www.pageofmirrors.rpgpiracaia.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Exemplo de criação de Prelúdio

Mensagem por Clisthert em Seg Jan 11, 2016 11:31 am

Antes de tudo teremos que decidir o que será nosso personagem.
Seu nome será Alberto.
Ele será um Ventrue, neófito de 18 anos de idade aparente e 5 como vampiro. Será brasileiro, nascido na cidade de São Paulo, de família rica e tradicional.

Pronto, temos um ponto inicial!

Marcelo Antony, apesar de aparentar bem mais que 18 anos, ele demonstra nessa imagem todo o caráter e elegancia de um ventrue.
Por que caráter? Vc controi o caráter de seu PC sobre uma imagem, torna-se muito mais fácil.
Pela foto podemos notar que nosso futuro personagem será um rapaz de bom gosto, que usa roupas finas, mas que possui uma arrogancia tremenda em seu olhar e que fará de tudo para se tornar o maioral. Ou vão me dizer que a imagem não tranpassa isso?

Bem, já temos um caráter definido, uma imagem, as coisas básicas para este personagem. Anote tudo em tópicos. Assim:

1- Caráter: Sério, sisudo, persuasivo, elegante e arrogante. Aqui está um rápído perfil psicológico de um personagem.

Vamos agora ao prelúdio de fato:

O primeiro parágrafo:

Neste ponto faça um breve resumo, uma introdução de tudo o que seu personagem é.
Mais ou menos assim:

(breve introdução interpretativa)Sentem-se rapazes, não estou disposto a ter que competir com vcs para ver quem fala mais alto, aqui eu mando e falo, vcs escutem, querem saber mais sobre mim, vamos a minha história.

Nasci em São Paulo, no ano de 1984, no dia 10 de janeiro. De família rica, meu pai um grande Advogado do ramo Imobilário, minha mãe Empresária da Moda, minha infancia e praticamente toda a vida Deu-se no bairro do Morumbi, cercado de regalias e futilidades, mas a vida ainda haveria de mostrar a sua mais sórdida realidade.

Desenvolvimento:
Esta parte é o prelúdio de fato, pode ser muito longo ou curto com alguns parágrafos, tudo depende da idade do personagem. Como Alberoto é um PC jovem, 5 anos como vampiro e 23 no total, será um prelúdio bem curto, 3 ou 4 parágrafos, nada mais do que isso.

Estudei nas melhores escolas de São Paulo, minha família, muito religiosa por sinal, me matriculou em uma escola de ensino teológico, onde aprendi os preceitos básicos da retórica e da liderança em massa. Obtive também ensino sobre o Direito e constitucional.

Minha infancia fora relativamente calma é verdade, mas não tive a presença paterna nem materna, ambos sempre preocupados com suas viagens a negócios ou a turismo, sempre me deixavam com Amadeu, o mordomo. Um holandes, de muita cultura e de gosto refinadissimo.

Aos 14 anos, percebi a minha real essencia, anos e anos de convivencia com Amadeu, me transformaram em um homem de grande fineza, e infelizmente apaixonado pelo mordomo.

[Aqui tenho de dar uma pausa: é engraçado notarmos que em se tratando de RPG, os preconceitos são tão grandes quanto no mundo real, nós rpgistas que temos por lema o não preconceito, muitas vezes fazemos piadas chulas e sem necessidade. Na minha visão o bom RPGista é aquele que é capaz de interpretar todo e qualquer papel, seja um homem, uma mulher ou um homossexual. Voltando]

Amadeus, mais velho 30 anos, mas com uma inteligencia superior, se fez meu ídolo, por quem me apaixonei perdidamente. Mantinha relações com ele é verdade, éramos um par, um casal. Mas não quero me aprofundar neste assunto, que ainda hoje me faz sentir um aperto no meu coração que já não mais pulsa. *derrama algumas lágrimas*

Infelizmente fomos descobertos, meu pai descobriu a mim e a minha opção, droga, maldito dia. Fomos pegos no ato, por um detetive que meu pai pusera em minha cola. Religioso como ele só, ordenou a morte de Amadeu. Não pude evitar. Ele fora pego na rua, espancado por alguns Skin Heads e morto.

Tornei-me obcecado por vingança, na escola passei a liderar uma "gang", líder estudantil de muita inteligencia, eu passei a transformar a vida de meus pais num verdadeiro inferno. Passei a ter homens e mulheres juntos comigo, quase todos os dias. Mas não podia evitar, nosso destino creio eu, já está marcado. Quando Amadeu morreu, eu estava com 16 anos.

A verdade é que ninguém merecia respeito, apenas eu merecia! Eu fora o filho perfeito durante 14 anos, fora o aluno aplicado, o neto bonzinho, e nada de reconhecimento. Ser mautratado como fui, nos torna amargos, o coração endurece.

Passei a não medir consequencias para conseguir o que EU queria, se possível for, que seja feita a minha vontade.

O Desfecho
Após a introdução e o desenvolvimento, vamos agora ao climax da história, como e por que ele foi escolhido para o Abraço.

Aos 17 anos, juntei algum dinheiro e paguei para os seguranças de meu pai para que ele fosse envenenado. Dito e feito, dias depois o velho tinha morrido. Minha mãe enlouquecida com os fatos passados, não tinha condições de dirigir os negócios da família. Passei então a administrar nossos milhões.

Mesmo aos 17 anos, já sabia muito bem a arte do negócio, como passar por cima das pessoas para conseguir aquilo que queremos, em apenas 6 meses consegui aumentar em 20% nossa fortuna, algo extremamente incomum é verdade. Fiz contatos, conheci pessoas.

Um dia anoite, ainda em meu escritório, dias depois de completar 18 anos, meu telefone toca. Atendo, alguém dizendo que é um parende de Amadeu, seu sotaque, era realmente parecido. Ordenei que subisse. Ele, Nicolau, viera cercado por 5 seguranças dele, um homem de 60 e poucos anos, com um sorriso maquiavélico e sarcástico no rosto. Nem alto nem baixo, um pouco fora de forma é verdade, mas ainda assim com uma aparencia incrivel para um senhor de terceira idade. (Presença)

Seus traços eram muito parecidos com o de Amadeu.

-Bom dia garoto. Amadeu falara muito sobre vc para mim! Eu sou o bisavo dele em, sim não parece, mas já passo dos 150 anos. Amadeu foi escolhido para lhe conduzir, te transformar naquilo que é hoje. Um homem capaz de tudo pelo que quer. E isso é bom. Para fazer parte de nossa família tem que se ter corageme força de vontade, e acima de tudo, tem que se ter capacidade. Vc é o melhor, e por isso o escolhemos.

Tivemos uma longa conversa, ele me explicou sobre o mundo em que vivemos, sobre a sua realidade, e sobre o inferno que é a terra. Me disse sobre os vampiros, e disse que seria meu mentor. Disse que eu podia não aceitar, mas assim seria morto. Não tive escolha, a idéia do Glamour de ser um vampiro, de manter a beleza jovial para todo o sempre me atraíram. Permiti o abraço.

Hoje estou aqui, 5 anos após ser abraçado, como todos sabem, nós, vampiros temos que ser apresentados ao principe, mas para isso precisamos ter um certo conhecimento. Passei os ultimos anos me preparando para tal fato, aprendendo com Nicolau, e finalmente hoje, aqui, me apresento, eu Alberto de Alcantara Bourbon Albuquerque III.


Última edição por Clisthert em Seg Jan 11, 2016 11:33 am, editado 1 vez(es)
avatar
Clisthert

Mensagens : 19
Data de inscrição : 09/01/2016
Localização : Bristol, UK

Ver perfil do usuário http://www.pageofmirrors.rpgpiracaia.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como fazer um bom Préludio

Mensagem por Clisthert em Seg Jan 11, 2016 11:32 am

Bem, o prelúdio ficou um pouquinho maior do que deveria, poderia ser mais resumido, mas quiz dar uma refinada, para lhes mostrar, que mesmo com personagens que aparentemente não teriam história alguma para contar, conseguirmos retirar informações bem interessantes.

Pronto temos um novo vampiro. Um jovem vampiro! Eis aqui, um tutorial simples de montagem de prelúdio. Em breve irei postar mais coisas sobre como fazer um Prelúdio.

Abraços.

Alex.
FONTE: Texto retirado do Forum dos Presas de Prata
avatar
Clisthert

Mensagens : 19
Data de inscrição : 09/01/2016
Localização : Bristol, UK

Ver perfil do usuário http://www.pageofmirrors.rpgpiracaia.com.br/

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Como fazer um bom Préludio

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum